Giovanna: a mamãe realizada do Davi e do Arthur


Ebaaa, sexta-feira chegou e vamos conhecer a história de mais uma mamãe linda.


E o relato de hoje é da Giovanna, mãe de dois príncipes, Enfermeira, Mestre, Professora Universitária, esposa, dona-de-casa, gente como a gente!

Vamos lá?

Meu nome é Giovanna e gostaria de compartilhar como vocês o momento em que eu realmente me senti uma mulher/mãe realizada:

Dia 3/12/13 acordo às 5h da manhã com dores/contrações, havia esperado tanto por aquele momento. Estava há 40.1 semanas aguardando. Ele tinha o tempo dele e só me restava esperar. O momento chegou, o nosso momento, estávamos começando a nos despedir. Eu já estava realizada em quase todas as áreas na minha vida, mas faltava a mais importante: ser mãe.

A caminho da maternidade, eu dizia: “Vem filho! Te aguardo! Eu não marquei na minha tumultuada agenda a tua chegada, te esperei e cá estou completa para ti.” Entre uma contração e outra, eu sentia o amor invadindo o meu corpo. Foi rápido, mas intenso! Intenso por ser em meio às dores, intenso porque estava inundada de amor, intenso porque simplesmente era meu parto e o nascimento do meu filho. “Vem filho! Quero te abraçar! Te respeitar! Te dar o meu melhor!”.

Às 10:25 escuto a mais bela canção que nenhum ser humano seria capaz de compor, e em meus braços eu recebo o maior prêmio que Deus poderia me dar. Sabe o que eu devolvo? Lágrimas? Sim! Amor? Sim! Alegria? Sim! E o mais importante, algo que saiu de mim e foi feito sob medida para ele: meu leite, o seu alimento. E lá, naquele momento, éramos 3: eu, meu marido e o nosso tesouro: Davi.

Assim começou a nossa história sobre amamentação. Os primeiros dias de adaptação...graças à Deus: pega correta! Sem vazamentos, meus seios vieram com válvula de fábrica (brincadeira!). Eu estava vivenciando na prática, tudo o que aprendi na profissão e pude entender o quanto é importante o conhecimento e empoderamento para conseguir realizar o sonho de amamentar.

Leite fraco? Escutei demais este mito. Mas, como não acreditar em mim, aliás em nós! Isso mesmo! A amamentação para mim não foi só um elo entre eu e Davi, incluímos o papai, que me dava forças e nas madrugadas o pegava no berço para nosso tesouro saciar o seu desejo.

Oba, chegamos no primeiro mês e passei a me sentir mais completa, haveria como? Claro que sim! Passei a ser doadora de leite humano...agora sim, a amamentação me deixou plena. Passei a alimentar barriguinhas que nem conheço, passei a fornecer de graça e com todo o meu amor o que tenho de melhor: meu leite. Meu ouro branco.

Ufa...5 meses de amamentação exclusiva e ainda estava faltando algo, ainda????? Sim!!!!! Resolvi ajudar às mães nas redes sociais e criei o perfil no Instagram @vivamamma para que conheçam e se empoderem sobre a amamentação e outros assuntos relacionados à maternidade.

Hoje, estou realizada? Vamos ao check list:
- Parto normal;
- Amamentação no primeiro minuto de vida;
- Amamentação exclusiva até o sexto mês;
- Doação de leite materno;
- Apoio e incentivo através das redes sociais;
- Manutenção da amamentação e doação até a presente data.

O que quero mais? Quero divulgar a minha história e aumentar esta corrente, provando a todas as mães que elas são iguais a mim, receberam um presente de Deus e são capazes de realizar verdadeiros atos de amor: amamentar e doar.



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...